Sobre o programa

Foi no município paranaense de Telêmaco Borba, onde a Klabin mantém a Unidade Monte Alegre, voltada para a produção de papel, que tudo começou. Onde chega, o programa se concentra em tratar temas que sejam relevantes e possam fazer a diferença para as realidades locais. Desde 2001, foram trabalhados tópicos como legislação ambiental, saúde ambiental, combate ao mosquito Aedes aegypti - o mosquito transmissor da dengue, gestão e destinação de resíduos sólidos, biodiversidade e serviços ecossistêmicos. 

Uma ferramenta extra para a sensibilização de educadores e estudantes são as visitas ao Parque Ecológico Klabin, localizado em Telêmaco Borba. Criado e mantido pela Klabin desde a década de 80, o espaço promove a conservação da biodiversidade, a manutenção e reabilitação de animais silvestres e a preservação de espécies, incluindo 13 ameaçadas de extinção a nível estadual. O Parque também é voltado para a educação ambiental e desenvolvimento de pesquisas científicas com a fauna e a flora locais.
 

Abrangência

O Programa já passou por 9 municípios, sempre fortalecendo a educação ambiental. 

Como funciona

O Programa segue a estrutura das três etapas: capacitação, desenvolvimento e Mostra Ambiental. Para incrementar o aprendizado, os professores podem visitar as unidades industriais da Klabin Monte Alegre, em Telêmaco Borba, e Puma, em Ortigueira, além do Parque Ecológico Klabin. 

Diferenciais

Em visita ao Parque Ecológico Klabin, os professores são recepcionados no Centro de Interpretação da Natureza (CINAT), espaço usado para treinamentos, exibição de vídeos e reuniões. A Trilha Ecológica é um dos atrativos. Com extensão de 2.500 metros, o percurso permite a observação de espécies nativas de fauna, flora, nascentes e diferentes formações de relevo. Durante a caminhada, os visitantes, podem admirar, por exemplo, a altura e longevidade de espécies como a araucária (Araucaria angustifolia), o angico (Anadenanthera colubrina) e a peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron).

Há ainda o Circuito da Biodiversidade, onde visitantes podem conhecer representantes da fauna silvestre da região como o cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), gato-do-mato (Leopardus guttulus), papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinaceae) e jacutingas (Aburria jacutinga).

Resultados

Paraná

9.920 educadores capacitados

9.588 escolas atendidas

475.999 estudantes beneficiados

Depoimentos

““As oficinas nos ajudam a pensar diversas maneiras de trabalhar um mesmo conteúdo, tornando-o mais atrativo para a criança. Todo mundo se empolga! A troca de experiências com professores de outros municípios durante a capacitação também é muito interessante”.

Lígia da Silva Pedroso
Professora na Escola Municipal Otávio Mendes Batista à época do Programa e atual Diretora na Escola Municipal Julia Vanderlei, em Imbaú (PR).

“O Programa agrega nossos conteúdos e o trabalho pedagógico. Quanto a gente traz a prática, a criança entende melhor; quando está envolvida, a aprendizagem vem. O uso das dobraduras nas aulas remotas, por exemplo, era prazeroso para os alunos”.

Djenyfer Carneiro do Prado
Professora da Escola Municipal Gonçalves Ledo, em Telêmaco Borba (PR).

“A capacitação oferecida amplia a visão do professor e do aluno, que passam a ter um olhar mais atento à natureza. A gente vê que o ensino e a aprendizagem não estão engessados, que podemos melhorar e ampliar o conteúdo trabalhado. Pretendo repassar o que aprendi onde estiver, dentro ou fora da sala de aula”.

Danielle Chrystine Pereira de Almeida
Professora da Escola Municipal Dr. Getúlio Vargas, em Ortigueira (PR).